Não é de hoje que se comentam sobre os transplantes capilares realizados no exterior – já falamos sobre o tema aqui em nosso site: Reportagem denuncia perigosa indústria turca de transplante capilar.

Mais reportagens continuam a denunciar essa artimanha financeiramente barata, que em longo prazo traz resultados frustrantes para o paciente, muitas vezes com danos irreversíveis.

Esta matéria, intitulada A falácia da perfeição do transplante capilar no exterior, esclarece alguns pontos extremante importantes sobre o procedimento mal feito envolto em muito marketing.

O texto afirma que, na Turquia, um dos países que buscam turistas para cirurgias, 80% dos transplantes capilares são realizados por pessoas não autorizadas, dado oficial da International Society of Hair Restoration Surgery (ISHRS). Já há até taxistas (!) aderindo à prática.

A matéria também comenta que há uma quantidade específica de fios para ser retirada da área doadora, a fim de manter a naturalidade e integridade da região. Da mesma forma, existe um limite para a quantidade de fios que pode ser implantada na área receptora.

Se mais fios são retirados, haverá cicatrizes visíveis e, ao aplicar mais fios do que o preciso, eles cairão e não nascerão novamente.

Existe, ainda, o risco de o paciente contrair infecções ou até mesmo doenças, caso realize a cirurgia de forma irregular.

Para um resultado natural e satisfatório, o transplante capilar deve ser realizado por um profissional altamente capacitado e dentro de uma clínica com todo o suporte para o procedimento. Médicos capazes de realizar o processo precisam de, no mínimo, nove anos de estudos e preparo.

Se você precisa tirar dúvidas ou iniciar um tratamento, procure por um médico devidamente licenciado para isso. No topo do nosso site, é possível procurar por profissionais em todo o Brasil e garantir, assim, que você será atendido por um cirurgião plástico ou dermatologista devidamente capacitado.