A queda de cabelos não é uma doença, como a maioria das pessoas pensa. Muitas vezes, ela está associada a condições no couro cabeludo, no próprio organismo ou, até mesmo, disfunções hormonais – como revela a matéria intitulada “11 problemas que fazem o cabelo cair”.

Para esclarecer, a queda normal diária de cabelos tem relação direta com o número total dos mesmos e com a duração da fase de crescimento. Normalmente, uma pessoa tem em média 100 mil fios de cabelos e uma fase de crescimento de três anos, ou seja, esta pessoa troca cerca de 100 mil fios a cada 1.000 dias, tendo uma perda de 100 cabelos por dia. Se o indivíduo tiver mais do que 100 mil fios, com o mesmo tempo de fase de crescimento, ele terá uma maior perda diária.

Já a calvície acontece quando os fios de cabelo de uma área do couro cabeludo caem e não voltam a crescer. Isto ocorre em alguns casos especiais, mas raros. Em geral, a calvície resulta no afinamento dos fios, que vão se tornando mais curtos e reduzidos em diâmetro até que desaparecem.

Isso pode começar a partir dos 18 anos de forma contínua – em casos hereditários -, mas há períodos de perdas mais acentuadas intercaladas com outros de estabilização. Após os 50 anos, o processo da perda se torna mais lento e homogêneo.

A ABCRC defende que o transplante capilar e tratamentos sejam realizados com ética e qualidade. Se você estiver com problemas capilares, precisa tirar dúvidas ou iniciar um tratamento, procure por um médico devidamente licenciado.

No topo da página do nosso site, é possível encontrar profissionais devidamente capacitados em todo o Brasil. Confira!