1. O que é FUE?
Basicamente, um transplante capilar consiste na retirada de unidades foliculares de uma área doadora (regiões laterais e posterior do couro cabeludo, da barba e de outras partes do corpo) e a colocação dessas unidades foliculares na área calva. O FUE é uma sigla que, em inglês, significa Follicular Unit Extraction: cada unidade folicular é extraída individualmente. Uma outra forma de retirar as unidades foliculares é com a remoção de uma faixa de pele; em inglês, é chamada de técnica FUT (Follicular Unit Transplantation), exclusivamente do couro cabeludo.

2. Como surgiu esta técnica?
O FUE é uma evolução de uma técnica desenvolvida na década de 50 por Dr Norman Orentreich, que utilizava cilindros de aço (punches)  com diâmetros de 3-4 mm de diâmetro. Isso deixava o paciente com aspecto artificial, conhecido como “cabelo de boneca”. Na técnica FUE , descrita pela primeira vez em 2002, mas que adquiriu popularidade a partir dos anos 2010 esses punches passaram a ter  de calibres bem menores (entre 0,70 e 1,10 mm) e podem ser feitos com instrumento manual, manual motorizado ou por robô.

3. Dizem que FUE é mais moderno do que a técnica que retira uma faixa (FUT); isso é verdade?
O mais correto seria dizer que a técnica FUE é mais recente. A primeira publicação científica é de 2002, enquanto que a técnica FUT existe desde o final da década de 80.
Cada técnica tem suas indicações e quando bem indicadas e bem executadas permitem resultados igualmente bons.

4. FUE é um procedimento cirúrgico? É verdade que não tem cicatriz?
O FUE é um procedimento cirúrgico, devendo ser realizado somente por médicos. Qualquer cirurgia resulta em cicatrizes, que podem ser mais ou menos visíveis. A qualidade da cicatriz resultante depende tanto da maneira como uma cirurgia é realizada quanto da cicatrização de cada paciente. No FUT a cicatriz é linear. Pode ser imperceptível (mesmo com cabelo muito curto) ou ser mais evidente em casos desfavoráveis. No FUE as cicatrizes são puntiformes. Da mesma forma podem ser indetectáveis em alguns casos e evidentes em outros.

5. Profissionais da área da saúde (não médicos) tem oferecido cirurgias com a técnica FUE argumentando que é um procedimento não invasivo. Isso é permitido?
A realização de qualquer cirurgia é de competência exclusiva de médicos. O Conselho Federal de Medicina reafirmou essa norma e determinou que a realização de transplante capilar com qualquer técnica por pessoas não habilitadas configura exercício ilegal da medicina.

6. Todo paciente que quer fazer um transplante capilar é candidato ao método FUE ou FUT?
Ambas as técnicas têm suas indicações, vantagens e desvantagens. Cabe ao médico identificar a melhor opção para cada caso e se não estiver habilitado a realização de uma delas deverá encaminhar ao profissional adequado.

7. Quais são as desvantagens de cada técnica?
Qualquer técnica, quando mal indicada ou mal realizada, poderá levar a maus resultados e a complicações. FUE e FUT se referem apenas a maneira como os fios são retirados da área doadora. A colocação na área calva é feita da mesma forma em ambas as técnicas.

Se a cirurgia for bem indicada e bem realizada:

  • FUT – cicatriz resultante linear. Se a cirurgia foi bem indicada e bem realizada ficará visível somente se a cabeça for raspada. Em pacientes idosos e com ótima cicatrização, entretanto, mesmo com a raspagem pode ficar imperceptível. Quem deseja usar o cabelo raspado nas regiões laterais deve evitar esta opção.  Sensibilidade a dor varia de paciente para paciente. Em geral o pós-operatório do FUT é mais doloroso do que no FUE.
  • FUE- embora cicatrizes possam ficar imperceptíveis mesmo com a cabeça raspada, em alguns casos cicatrizes puntiformes esbranquiçadas podem ficar evidentes nesses casos. Para o transplante de um número grande de fios é necessário raspar totalmente a cabeça. Nas cirurgias de pequeno e médio porte o número de fios transplantados é o mesmo mas nos casos maiores pode-se transplantar mais fios em menos tempo na técnica FUT.

Se a cirurgia for mal indicada e/ou mal realizada

  • FUT – cicatriz alargada. Dor. Destruição da área doadora.
  • FUE – milhares de cicatrizes esbranquiçadas. Destruição da área doadora.

Mensagem: a cirurgia deve sempre ser realizada por médico habilitado. Pesquise antes de escolher o profissional.

8. FUE é mais caro do que a técnica FUT?
Isso depende de cada clínica e de cada cirurgião. Em média, mantém-se valores aproximados.